Clínica Dr. Lucas Moura

Especialista em Endocrinologia pela Universidade de São Paulo | CRM 125.324
CLÍNICA MÉDICA RQE 36686 | ENDOCRINOLOGIA & METABOLOGIA RQE 36687
Obesidade Mórbida
Faça o teste do seu
IMC e saiba sua
real situação
SUA SITUAÇÃO

Abaixo de 17 | Muito abaixo do peso
Entre 17 e 18,49 | Abaixo do peso
Entre 18,5 e 24,99 | Peso normal
Entre 25 e 29,99 | Acima do peso
Entre 30 e 34,99 | Obesidade I
Entre 35 e 39,99 | Obesidade II (severa)
Acima de 40 | Obesidade III (mórbida)

O termo obesidade mórbida foi introduzido na medicina para indicar as pessoas com grande excesso de peso, as quais apresentam elevado risco de complicações se não forem adequadamente tratadas.

Toda pessoa que tem índice de massa corpórea acima de 40 tem obesidade mórbida. Teste aqui o seu índice de massa corpórea.

A obesidade mórbida aumenta excessivamente o risco de várias doenças e de morte, como:

  • Doenças do coração e da circulação, como infarto, acidente vascular cerebral e hipertensão arterial.
  • Diabetes.
  • Doenças da coluna e das articulações.
  • Doenças do aparelho digestivo, como pedra na vesícula e doença do refluxo gastro-esofágico.
  • Alterações hormonais e sexuais (impotência, disfunçãoo erétil, infertilidade).
  • Dificuldade da respiração, ronco e apnéia obstrutiva do sono.
  • Depressão e outras alterações psicológicas.
  • Risco elevado de morte, chegando a ser 6 a 12 vezes maior em determinadas idades, do que uma pessoa normal.

Além desses riscos, o paciente com obesidade mórbida tem limitação importante na qualidade de vida, como por exemplo: dificuldade para dormir, andar, vestir-se, fazer a higiene pessoal, utilizar meios de transporte e serviços de lazer; limitação no trabalho levando a baixas taxas de admissões em entrevistas, baixo rendimento profissional, elevadas taxas de faltas ao trabalho com consequências econômicas importantes.

Qual a causa da obesidade mórbida?

Inúmeros estudos e pesquisadores mostraram que a causa da obesidade mórbida é complexa e vários fatores desempenham papel importante.

A hereditariedade (fator genético ou familiar) é muito importante na maioria dos grandes obesos e das pessoas com excesso de peso, podendo ser responsável por  até 50% do peso de cada indivíduo. É muito frequente observar que o paciente com obesidade mórbida tem 1 ou mais membros da família com o mesmo problema.

A ingestão de alimentos em grande quantidade, principalmente comidas com elevado teor calórico, associada a pouca atividade física (atividades cotidianas e exercício físico) estão sempre presentes. 

Alterações psicológicas e possivelmente hereditárias aumentam a ingestão excessiva de alimentos, muitas vezes já por um estado de ansiedade generalizada ou compulsão alimentar agravado pela própria de obesidade mórbida.

Fatores ambientais, sociais econômicos e culturais também podem ser importantes.

Raramente, algumas doenças hormonais como da tireóide, da hipófise e outros distúrbios endócrinos podem causar obesidade, mas chegam a menos de 1% do todos os casos de obesidade.

Quem pode se submetido a tratamento cirúrgico?

Pacientes com índice de massa corpórea acima de 40 ou pacientes com índice acima de 35 que apresentem doenças associadas que ameacem a vida, tais como diabete melito, apnéia do sono, hipertensão arterial, dislipidemia (alterações do colesterol e ou triglicérides), doença das artérias do coração, doenças articulares e outras.

Pacientes que foram submetidos a pelo menos 2 anos de tratamento clínico sem sucesso.

Ausência de dependência a drogas ilícitas, alcoolismo e doenças psicóticas ou demências moderadas a graves.

Compreensão pelo paciente e seus familiares dos riscos e mudanças de hábitos inerentes a uma operaçãoo de grande porte e da necessidade de acompanhamento pós –operatório com a equipe multidisciplinar por toda a vida do paciente.

A decisão de realizar uma operação para tratar a obesidade mórbida é difícil e só deve ser tomada após uma reflexão demorada, ter conversado com seus familiares e ter consultado o seu médico de confiança. Você deve considerar que estas operações são de grande porte, apresentam riscos e envolvem modificações definitivas no seu aparelho digestivo. Você necessitará modificar o seu estilo de vida no pós-operatório para o resto da vida, para que o procedimento tenha um sucesso duradouro. Por outro lado, os benefícios do procedimento, tanto na melhora da qualidade de vida, como na redução significativa das complicações das doenças associadas e do risco de morte, são compensadores para a grande maioria dos pacientes.

É importante você saber que a sua participação é fundamental para o sucesso da operação. Você precisará mudar os seus hábitos alimentares e o seu estilo de vida para o resto da sua vida. Isto significa que você deverá ingerir alimentos em menor quantidade e com menor valor calórico e deverá ser mais ativo, com programas de exercícios frequentes.

Os candidatos ao tratamento cirúrgico devem ser submetidos a uma avaliação pré-operatória completa para determinar fatores de risco que possam aumentar as complicações e comprometer o resultado da operação.

Esta avaliação é realizada por um grupo de profissionais (equipe multidisciplinar)  que tem experiência no cuidado de pacientes com obesidade mórbida. Além de solicitar vários exames, será solicitada uma avaliação com endocrinologista, nutricionista, psiquiatra ou psicólogo, anestesista e outros especialistas que ele julgar necessário. Lembre-se! Esta avaliação completa é para sua proteção. 

Bibliografia:

Manual de orientações para o paciente, do Colégio Brasileiro de Cirurgia Digestiva.

Agende uma consulta