Clínica Dr. Lucas Moura

Especialista em Endocrinologia pela Universidade de São Paulo | CRM 125.324
CLÍNICA MÉDICA RQE 36686 | ENDOCRINOLOGIA & METABOLOGIA RQE 36687
Tratamento para Obesidade
Faça o teste do seu
IMC e saiba sua
real situação
SUA SITUAÇÃO

Abaixo de 17 | Muito abaixo do peso
Entre 17 e 18,49 | Abaixo do peso
Entre 18,5 e 24,99 | Peso normal
Entre 25 e 29,99 | Acima do peso
Entre 30 e 34,99 | Obesidade I
Entre 35 e 39,99 | Obesidade II (severa)
Acima de 40 | Obesidade III (mórbida)

20% ou menos dos pacientes consegue se manter em tratamento que leve ao controle definitivo da obesidade

Principais dúvidas e textos interessantes.

Quem costuma ter sucesso diante de um tratamento de emagrecimento?

- Alimentação regular na maioria dos dias, mesmo saindo fora da dieta em algum dia do final de semana.

- Atividade física regular  e/ou movimentação intensa durante o dia de trabalho.

- Preocupação diária com a saúde, ao menos em algum momento do dia. O que fiz hoje para melhorar minha saúde  e meu corpo? Estou me sentindo bem?

- Colocar hábitos saudáveis ao longo do dia, qualquer que seja, tomar água, comer uma salada e frurtas, buscar alimentos saudáveis no supermercado, controlar o peso, exercitar-se.

- Procurar comer ao menos 4 refeições ao dia em que os alimentos ingeridos tenham potencial de reduzir a fome mais do que o objetivo simples do prazer de comer (Proteínas magras, fibras e carboidratos de baixo índice glicêmico).

Círculo vicioso em que a grande maioria do obesos chegam ao consultório.


A busca por tratamento na maioria dos casos ocorre porque a pessoa enxerga o problema, mas muitas vezes isso só ocorre motivado por exames médicos alterados, internações, infecções, pela percepção de familiares ou amigos.


Nessa estratégia acima, apenas cerca de 20% ou menos dos pacientes consegue se manter em tratamento que leve ao controle definitivo da obesidade, pois na maioria dos casos não é vista como doença pelo próprio indivíduo, com objetivos exclusivamente estéticos e de curto prazo. 

Ao mesmo tempo o paciente permanece a vida toda indo ao cardiologista para controlar a hipertensão, tomando remédios, que em muitos casos a causa é única e exclusivamente relacionada aos maus hábitos alimentares, sedentarismo e excesso de peso, e de igual forma ocorre com medicamentos para ácido úrico elevado, colesterol alterado, triglicérides, dores articulares, ansiedade e depressão, que podem ser unicamente consequência da obesidade, a qual é deixada de lado.

Modelo de tratamento:

Todo tratamento efetivo passa por diferentes fases, que costumo dividir em 3 principais:

Fase de início ou fase de perda rápida e melhora brusca dos sintomas relacionados a obesidade. Deve durar no máximo 3 meses, e normalmente vem acompanhada de perda de peso entre 10 e 15% do peso total. Adaptação medicamentosa quando do uso de medicamentos no tratamento. 

É a fase em que a maioria esmagadora dos pacientes desiste do tratamento, quando não conseguem deixar de lado os maus hábitos relacionados ao excesso de peso. O paciente com histórico de inúmeros tratamentos médicos e nutricionais geralmente acaba fazendo isso por muitos anos de sua vida, entrando e saindo de tratamentos, sem nunca ter passado para a fase adiante, o que para muitos acaba sendo classificado como efeito sanfona, que nada mais é do que a intenção de tratar a doença apenas em períodos curtos de tempo, abandonando tudo aquilo em seguida.

Fase intermediária ou fase de peso alvo, que tem como objetivo entendimento mais aprofundado das mudanças físicas e metabólicas pelas quais o corpo está passando, adaptação ao novo estilo de vida,  consolidação de preferências alimentares da nova dieta e da rotina de atividade física. Digo que essa fase dá aos pacientes a real condição de ser magro, já que o paciente percebe que a possibilidade de perder peso e se manter no peso existe. Costuma durar do 3 mês ao 8 mês de tratamento, em muitos casos pode levar até o final do primeiro ano de tratamento, podendo haver suspensão ou redução de dose dos medicamentos quando utilizados. Digo àqueles que passaram pelo primeira fase que um segundo divisor de águas acontecerá no futuro, e é justamente na fase intermediária que isso ocorre, onde fatores externos não programados muitas vezes acabam tirando o foco do paciente, e tudo volta a estaca zero com reganho completo de peso no prazo de não mais que 6 meses.

Fase de manutenção ou fase tardia, é a fase em que hábitos saudáveis já estão consolidados, e ocorre a busca pelo refinamento do peso atingido, com metas para melhora da composição corporal, redução de gordura, definição e melhora de performance nos treinos, é a “Cereja do Bolo”, que uma parcela muita reduzida de pacientes vai conseguir  atingir. Envolve mecanismos fisiológicos de busca do corpo pela gordura (reserva de energia perdida), indo de encontro a vontade do paciente de controlar a fome e consequentemente o peso.

É a fase onde atividade física conta tanto quanto a dieta ou muitas vezes até com um peso maior, visto que muitas pessoas não conseguem se manter em dieta rígida por muito tempo, voltando a uma rotina de alimentação em parte mais desregrada, só que agora em equilíbrio com um gasto calórico muito maior.


Agende uma consulta